Araguaína – Tocantins

Publicado em 10/11/2017

Araguaína é um município brasileiro do estado do Tocantins, pertencente à Mesorregião Ocidental do Tocantins e à microrregião homônima.

Foram os silvícolas da tribo dos Carajás os primitivos habitantes da vasta região de ricas terras e luxuriante floresta compreendida entre os rios Andorinhas e Lontras, afluentes da margem direita do caudaloso Rio Araguaia. Essa extensa área constituiria mais tarde a maior parte do atual município de Araguaína. Os remanescentes dos Índios Carajás ainda habitam as margens do Rio Araguaia, numa pequena reserva sob a orientação da Fundação Nacional do Índio – FUNAI.

O início do desbravamento do município ocorreu no ano de 1876, com a chegada de João Batista da Silva e família, procedentes de Parnaguá, estado do Piauí. A família estabeleceu-se à margem direita do rio Lontra, em local que denominaram “livre-nos Deus”, nome que expressava o temor permanente de ataque de índios e animais selvagens que habitavam a primitiva região. O primeiro desbravador da região trouxe em sua companhia sua esposa, Rosalina de Jesus Batista e seus filhos do primeiro matrimônio/ do segundo casamento vieram 10 filhos entre os quais, Tomás Batista, na época com nove anos de idade, ao qual muitos atribuem, erroneamente, a fundação do município. Poucos meses após a chegada da primeira família, ainda no mesmo ano, outras começaram a chegar e foram fixando-se no mesmo local formando um povoado ao qual denominaram Lontra, por localizar-se à margem do rio do mesmo nome.

Araguaína era a quarta maior cidade do Estado de Goiás, de 1980 a 1986, perdendo somente para Luziânia, Anápolis e Goiânia. Com a criação do estado de Tocantins em 1989, Araguaína tornou-se a maior cidade do Estado e pretensa capital do Estado que estava nascendo, não foi escolhida devido a fatores geográficos, sociais e políticos, mas ganhou o carinhoso título de Capital Econômica do Estado, sendo atualmente a principal força econômica do Estado. Segundo pessoas ligadas ao ex-governador Siqueira Campos, por causa da influência do então Presidente do Brasil, José Sarney, que não queria que nascesse uma capital de estado perto da cidade de Imperatriz do Maranhão. Porque com a existência dessa capital, Imperatriz acabaria com o seu crescimento que ocorre há anos. Então o Presidente do Brasil impôs ao Sr. Wilson Siqueira Campos, a escolha de outro lugar do novo estado. Por isso houve a criação de Palmas, A “capital” do “Futuro”.

Na realidade, Siqueira Campos, então primeiro governador do Tocantins, resolveu que nenhuma das cidades a quem ele prometera que seriam Capital, envergariam tal título, nem provisoriamente. Assim, a 8 de dezembro de 1988, seria anunciada a cidade de Miracema como Capital provisória do recém-criado estado. A decisão causou revolta na cidade, que pouco a pouco se acostumou a ser a Capital Econômica do Tocantins. Atualmente, Araguaína é um centro de referência em várias áreas e deverá ser por muito tempo a maior economia do Estado. Além disso, a abertura de faculdades e ampliação do número de cursos da Universidade Federal do Tocantins deram novo fôlego à economia local, que já era forte.

Economia

Existe a ideia de que Araguaína é a capital do boi, mas a grande força de Araguaína não é só essa. O comércio e o DAIARA-Distrito Agro Industrial de Araguaína, com indústrias e contando com 3 Frigoríficos de referência nacional sendo o Bertin, o Minerva e o Boiforte. Araguaína é cercada de grandes, médias e pequenas fazendas, que impulsionam o desenvolvimento econômico da cidade através da agricultura e da pecuária. Também a instalação de faculdades na cidade impulsionou nos últimos tempos a iniciativa privada na construção civil.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Araguaína

Imagem:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Araguaína

 

*As áreas destinadas aos próximos lançamentos nos 10 Estados acima descritos são parte integrante do patrimônio empresarial do Grupo Buriti e seus parceiros. Os projetos estão sendo desenvolvidos respeitando o plano diretor de cada município e ainda dependem da aprovação dos órgãos públicos competentes. Os lançamentos seguirão o cronograma estabelecido pela Buriti e serão comercializados após a aprovação dos projetos e liberação dos devidos registros de incorporação das comarcas de cada cidade. As quantidades de terrenos poderão sofrer alterações sem aviso prévio. A Buriti se reserva no direito de cancelar, antecipar ou adiar os lançamentos conforme as condições do mercado imobiliário ou situações adversas na economia. Buriti Imóveis, Realizando Sonhos. TODOS OS PROJETOS CONSTANTES NESTE MATERIAL FORAM APROVADOS PELOS ÓRGÃOS PÚBLICOS COMPETENTES E PODERÃO SOFRER ALTERAÇÕES POR EXIGÊNCIA PÚBLICA OU NECESSIDADE TÉCNICA, DESDE QUE NÃO PREJUDIQUE OS COMPRADORES. IMAGENS ILUSTRATIVAS E DO LOCAL.

Copyright 2017 - Buriti Empreendimentos. Todos os direitos reservados.