Confira seis dicas para construir um imóvel

Publicado em 30/06/2017

O Grupo Buriti apresenta os principais passos para evitar imprevistos na realização do sonho da casa própria, após a compra do terreno

Foto: Shutterstock

Só de pensar em construção, muita gente já fica desesperada, mesmo que a finalidade seja a realização da casa dos sonhos. O processo até o resultado final pode ser bastante cansativo e, quanto maior a obra, maiores são as preocupações, problemas e tempo gasto.

Também é preciso ficar atento às leis e normas, que, se desrespeitadas, podem, inclusive, paralisar toda a reforma. Pensando nisso, o Grupo Buriti, um dos maiores empreendedores em desenvolvimento e planejamento urbanístico do Brasil, elencou alguns pontos importantes que a população deve saber após a compra do terreno e no desenvolvimento do imóvel.

“O primeiro passo para a realização casa própria é a compra de um terreno em uma área totalmente legalizada e preparada. O segundo é a criação do projeto da casa, que deve ser feito com ajuda de profissionais. Muitos sonham com uma casa com piscina, espaço gourmet, quartos para todos os filhos, mais de um banheiro, mas é preciso ter cautela e fazer um plano inicial de acordo com o orçamento e as necessidades da família e, depois, ir ampliando a casa”, diz Moisés Carvalho Pereira, diretor do Grupo Buriti.

Confira as seis principais dicas da Buriti para construção da casa própria no novo terreno:

  1. Terreno: Realizar a compra de um terreno em uma área totalmente legalizada. A dica é buscar por empreendimentos lançados por empresas idôneas e reconhecidas pelas entregas e qualidade de suas obras.
  2. Projeto: O segundo passo do proprietário é discutir com um engenheiro ou arquiteto as ideias que tem sobre a estrutura da casa e os recursos iniciais disponíveis. Esse profissional será o encarregado por desenhar a planta e todo o projeto construtivo da casa. Uma vez aprovado pelo dono, o projeto deve ser enviado à prefeitura para aprovação também. Outro passo importante é preparar um cronograma de obras e financeiro. O ideal é usar uma planilha na qual o proprietário possa controlar os prazos e gastos com material e mão de obra, evitando desperdícios, despesas extras e a garantia de cumprimento dos prazos.
  3. Legalização: Cada cidade tem regras próprias para legalização da obra, mas em todos os casos, antes de começar a construir, o proprietário do terreno deverá ter um alvará de construção fornecido pela Prefeitura. Para dar entrada neste alvará é necessário RG do proprietário, IPTU do terreno, contrato ou promessa de compra e venda e apresentação da planta. No fim da construção, a prefeitura faz uma vistoria no imóvel para saber se as regras locais foram seguidas. Se estiver tudo em ordem, ela emitirá o Habite-se, chamado também de certificado de conclusão de obra.
  4. Mão de Obra: Na hora de contratar o pessoal da obra é bom pedir indicação de amigos que tenham construído recentemente ou também as equipes sugeridas pelos engenheiros ou arquiteto. Além disso, o proprietário pode optar por um empreiteiro, que será responsável por contratar o pessoal e supervisionar o trabalho.
  5. Materiais: Para a compra dos materiais é preciso pedir recomendação dos profissionais e usar produtos de confiança e que tenham durabilidade, mesmo que sejam um pouco mais caros. Também é necessário fazer cotação em diferentes lugares, no mínimo três, usando uma lista dos produtos, fornecedor, quantidade, preço unitário, preço total e prazo de entrega. Dessa forma, é possível identificar e fechar com as melhores lojas.
  6. Construção e acabamento: Mesmo que o proprietário tenha contratado ótimos profissionais, é importante acompanhar toda a obra de perto, fazendo visitas periódicas e certificando que a obra está ocorrendo conforme o planejado. Caso sejam necessários reparos, eles podem ser feitos antes do acabamento. A finalização da obra é uma das partes mais importantes e inclui a pintura, colocação de piso e revestimentos, metais sanitários, entre outros.

De acordo com Moises, “muitas pessoas fazem obras por conta própria e depois tentam regularizar o imóvel, porém nem sempre é possível. Isso vai depender muito da Prefeitura e se a construção obedeceu aos parâmetros exigidos por ela”.

Copyright 2017 - Buriti Empreendimentos. Todos os direitos reservados.