Entenda as etapas de construção de um loteamento

Publicado em 29/03/2019

O número de loteamentos no país aumenta a cada ano, impulsionado pelo interesse dos compradores em morar num local próximo à natureza e com segurança. Somente em 2017, foram aprovados mais de 700 projetos do tipo apenas no estado de São Paulo, que possui o maior número de empreendimentos. São projetos que visam explorar todos os benefícios que um loteamento traz para o local onde é instalado e para a região ao redor, transformando paisagens, trazendo desenvolvimento e qualidade de vida. Um vazio urbano que se torna um grande bairro planejado no decorrer de poucos anos.

Neste bairro, há toda a infraestrutura urbana e uma disposição paisagística que restaura a beleza natural do lugar. O melhor exemplo deste fenômeno é o bairro Alphaville, entre Barueri e Santana de Parnaíba, local antes tido como distante, que se tornou um polo comercial, empresarial e industrial. Nos anos seguintes, a Alphaville Urbanismo, desenvolvedora do projeto, lançou outros empreendimentos imobiliários por todo o país, estando hoje presente em 23 estados e no DF com mais de 100 empreendimentos implantados.
Mas como isso foi possível? Na verdade, o processo de nascimento de um empreendimento horizontal é complexo e envolve diversos profissionais das mais diferentes áreas de atuação. Veja a seguir quais são os passos que tornam projetos assim possíveis.

Passo 1 – Identificação de demanda


Antes de analisar um terreno específico para implantação de um novo empreendimento, a equipe de Novos Negócios, juntamente com a diretoria da empresa, realiza uma análise de demanda para definir quais cidades farão parte da estratégia de crescimento da companhia. Com as cidades definidas, o próximo passo é a determinar os vetores e captação dos terrenos. Em paralelo à essa análise, a área de Inteligência de Mercado estuda minuciosamente as características do local, de forma a encontrar o perfil ideal dos compradores naquela região.
Já com um terreno em vista, a equipe de Novos Negócios visita o local e verifica se é compatível com algumas das premissas da Alphaville Urbanismo. “O primeiro passo na hora de iniciar o desenvolvimento de um empreendimento costuma ter um obstáculo: a dificuldade de encontrar terrenos propícios, seja ele apenas um residencial ou, em escalas maiores, um bairro planejado. A área em questão precisa possuir qualidades específicas, como ter mais de 200 mil metros quadrados e se situar em vias de fácil acesso aos centros urbanos de pelo menos 300 mil habitantes” diz Bruno Caloi, gerente de Novos Negócios da Alphaville Urbanismo.

Passo 2 – Plano de Ocupação


Com a área identificada e contratada, uma equipe de arquitetos, engenheiros e urbanistas entra em cena. Eles iniciam os estudos sobre a legislação local e alinhados com a equipe de Meio Ambiente, definem as possibilidades de ocupação da área, criando o primeiro desenho sobre o que seria o empreendimento. São esboços dos projetos urbanísticos, paisagísticos e de infraestrutura. Dessa forma, é possível identificar de que maneira se dará o desenvolvimento e a viabilidade do empreendimento.

Passo 3 – Levantamentos Iniciais


Com os desenhos em mãos, as primeiras consultorias são contratadas para fazerem o levantamento topográfico e o mapa de restrições ambientais no terreno. Esse é o primeiro diagnóstico oficial a embasar o projeto, seguido dos estudos da infraestrutura. Com base nestes levantamentos iniciais, determinam-se as áreas ocupáveis, considerando as áreas de preservação ambiental, áreas verdes, lotes, vias de acesso, portarias, praças e sistema de lazer, como o clube.

Passo 4 – Legalização


Todo esse trabalho é amparado pelas equipes de negócios, meio ambiente e engenharia, que conduzem os projetos às aprovações, elaboram os estudos de viabilidade técnico-financeira e prosseguem com o licenciamento nos diversos órgãos envolvidos no processo de legalização do empreendimento, sendo eles: prefeituras, concessionárias de serviços públicos, órgãos ambientais, regionais, municipais, federal e cartórios; acompanhando todo processo desde a contratação do terreno, até a obtenção do registro de Imóvel e emissão dos documentos oficiais que autorizam a implantação do empreendimento (como licenças, autorizações, outorgas, anuências, DOF, dentre outros).

Passo 5 – Comercialização


Em paralelo, as equipes de marketing e vendas atuam com o planejamento das ações para o lançamento do novo empreendimento. É elaborada a campanha, estratégia de divulgação, eventos e publicidade.
Um fator importante no processo é o PDV (Ponto de Vendas), que pode ficar na área do futuro empreendimento ou em um local de grande circulação de pessoas. O PDV, primeiramente, atua como um espaço conceito em que o público pode conhecer mais sobre a empresa, e posteriormente as características do residencial.

Passo 6 – Construção


O período de construção do empreendimento leva em média 24 meses, empregando centenas de profissionais da região e entorno do local planejado. Autorizada a execução e delimitando as áreas de preservações ambientais, a primeira etapa a ser desenvolvida é a ‘terraplenagem’, atividade responsável pela movimentação dos solos, conformando a topografia do empreendimento e preparando o terreno para receber as intervenções posteriores, como as redes de drenagem, água, esgoto, elétrica, iluminação pública, pavimentação, sinalização, paisagismo e passeios. O empreendimento ganha forma e possibilita a construção das edificações, como portaria, sede da futura associação de moradores e clube de lazer. A construção dos empreendimentos é acompanhada pela equipe de obras, respeitando as normas técnicas, padrões locais, procedimentos internos e utilizando as melhores práticas construtivas.
Durante este período de obras, a equipe de Relacionamento com o Cliente permanece em contato com os clientes que adquiriram unidades no residencial. O programa de relacionamento da empresa permite que os clientes tenham rápido acesso ao status das obras, por meio de um portal especialmente desenvolvido, contando com atendimento especializado, base de dados e benefícios exclusivos. Tudo pode ser acessado por meio do Portal Cliente Alpha.

Entrega para os futuros moradores

A entrega final do imóvel é feita para a Associação de Moradores, responsável pela gestão do residencial e definição de diretrizes – como o rateio de despesas de manutenção, assembleias entre moradores, entre outros detalhes –, sendo possível, a partir disso, que os clientes iniciem a construção de suas residências, seguindo o mesmo padrão construtivo de qualidade, que leva em consideração a comodidade do futuro morador, o respeito ao meio ambiente e a durabilidade da infraestrutura.
Conforme os anos passam, é possível perceber a importância do conceito construtivo elaborado desde o início. O paisagismo, por exemplo, vai se desenvolvendo conforme ocorre o crescimento das árvores, levando a harmonia perfeita da natureza, para os mais diferentes ambientes do empreendimento.

Valorização
Com a natural ocupação do residencial, o empreendimento vai se valorizando, atraindo mais estabelecimentos comerciais e outros empreendimentos para a região, dando início a um ciclo de desenvolvimento, que se traduz em mais valorização (Maxpress)

Fonte:
https://habicamp.com.br

Copyright 2017 - Buriti Empreendimentos. Todos os direitos reservados.