Lógica invertida: agora os bancos é que correm atrás do mercado imobiliário