4 Dicas para deixas as finanças organizadas no início do ano

O começo de um novo ano traz consigo a possibilidade de começar tudo de uma maneira diferente. Caso para você isso inclua o planejamento financeiro, então continue neste texto porque com certeza você está no lugar certo.

Não temos dúvidas que, se desde o primeiro mês uma pessoa começar a criar novos e bons hábitos, ela chegará em dezembro muito mais satisfeita com os resultados alcançados.

Como para este post nosso foco é as finanças pessoais, tenha em mente que finanças organizadas no início do ano é sinônimo de uma vida financeira equilibrada e saudável em todos os meses. Para que isso seja possível, é fundamental começar com o pé direito, seguindo as quatro dicas que separamos para você.

1 – Analise para onde foi seu dinheiro no ano anterior

Para as finanças organizadas no início do ano e durante os meses que seguirão, você não poderá cometer os erros do passado, certo?

Caso você já seja uma pessoa organizada financeiramente, com alguma planilha orçamentária ou software de controle de gastos, essa tarefa será mais fácil. Do contrário, é bem provável que aqui você tenha um pouco de trabalho.

Para facilitar, analise seu ano anterior e procure responder às perguntas:

  • Quanto do meu dinheiro foi destinado para gastos essenciais (alimentação, despesas domésticas, transporte, educação, etc.)?
  • Quanto foi destinado para gastos supérfluos?
  • Dessas despesas, o que consideraria desperdício de dinheiro?
  • Onde estou gastando demais?
  • Quantas compras que fiz e me arrependi?
  • Quanto de dinheiro consegui poupar?
  • Como estão meus investimentos?
  • Quais são as dívidas que tenho com financiamentos, empréstimo, cartão de crédito, etc.?

A análise parece bem simples, mas você verá que por meio dela conseguirá descobrir itens importantes quanto aos seus hábitos de consumo. Talvez você se dê conta de que fez muitas compras por impulso e que elas foram  as principais responsáveis pelo aumento dos seus parcelamentos.

Na análise dos gastos essenciais e supérfluos, pode ser que você perceba que esteja pagando algo que não está utilizando como deveria. Por exemplo, muitas pessoas pagam planos de academia para utilizar dos serviços diariamente, mas só conseguem ir duas vezes na semana. Outras têm mensalidades altas de TV a cabo, mas não a utilizam.

Em suma, a partir dessa análise você terá em mãos informações importantes que lhe ajudarão a deixar as finanças organizadas no início do ano e permitirão evitar o estresse financeiro lá na frente.

2 – Crie um plano com metas

O primeiro passo para as finanças organizadas no início do ano é entender onde você está. Para tal, a análise abordada no item anterior ajudará.

Na etapa seguinte, crie um planejamento financeiro com objetivos realistas. Se ao responder as perguntas da dica número 1 você perceber que está com muitos parcelamentos, que tal começar com a meta de “não fazer mais compras parceladas?”.

Seja qual for seu objetivo, o orçamento será um grande aliado para cumpri-lo. A fim de começar, totalize sua receita e subtraia as despesas mensais. Isso dará o que chamamos de instantâneo financeiro. A partir daí, reduza gastos desnecessários e, se a situação exigir, explore maneiras de aumentar sua renda.

Já aos amantes da tecnologia, para manter as finanças organizadas no início do ano existem alguns aplicativos que poderão contribuir.

3 – Prepare-se para o inesperado

Por mais que você planeje, o inesperado sempre ocorre. A boa notícia é que em finanças pessoais é possível preparar-se inclusive para aquilo que nem foi planejado.

Desafios como perda de emprego, problemas de saúde ou danos materiais podem afundar uma pessoa em dívidas se ela não tiver a ferramenta certa em mãos. Por isso, é essencial criar um fundo de emergência que possa garantir um fôlego financeiro para as situações imprevistas.

O ideal é que essa reserva consiga cobrir e manter sua vida por seis meses, no mínimo.

4 – Invista em educação financeira

Quem realmente quer ter as finanças organizadas no início do ano e manter essa organização no decorrer dos meses precisará, inevitavelmente, investir em educação financeira.

Isso não significa que você deve sair correndo e matricular-se em todos os cursos que aparecem. Investimento não significa necessariamente de dinheiro, pode ser também investimento de tempo.

Hoje em dia existe muito conteúdo gratuito na internet, como podcasts, vídeos e artigos, principalmente para quem quer dar os primeiros passos. Mas, se por um lado a quantidade de informação é ampla, é preciso cuidar de onde esta mesma informação está vindo. Com cada vez mais educadores financeiros no mercado, analise bem o perfil do profissional, seu conhecimento no assunto e, claro, a experiência.

E além do conteúdo gratuito, existem bons cursos que podem ajudar a alavancar sua educação financeira, bem como livros sobre o assunto.

Concluindo

Especialmente para quem não tem o hábito de controlar o orçamento, dar o passo inicial para manter as finanças organizadas no início do ano pode parecer difícil. Por isso, o ideal é que mudanças sejam feitas gradualmente.

Comece analisando seus hábitos de consumo do ano anterior e, com isso, verifique o que precisa ser melhorado ou mudado na sua vida. Monte sua planilha financeira, organize bem seus gastos (lembre-se de não gastar mais do que recebe) e trabalhe para cumprir com seus objetivos.

Para garantir uma vida financeira saudável, já comece também a montar sua reserva de emergência. Muitas pessoas começam a investir sem nem mesmo ter esse colchão que garantirá uma certa tranquilidade no caso de imprevistos.

Por fim, não esqueça de sempre procurar atualizar-se sobre bons conteúdos de finanças.

Fonte: https://andrebona.com.br/