Planejamento financeiro: 5 Dicas para começar o ano com o pé direito

Controle, consciência e investimento estão entre os principais pilares para organizar finanças pessoais

O início do ano costuma ser o período destinado para reestabelecer metas e planejar a vida em todas as esferas, principalmente no âmbito financeiro. De acordo com pesquisa realizada pela Associação Planejar, cerca de 65% das pessoas entre 16 e 60 anos afirmam fazer um planejamento para o ano.

Pensando nisto, a Buriti separou cinco dicas para quem quer começar o ano com o pé direito, administrando a vida financeira de uma maneira mais equilibrada e próspera. Confira:

1 – Saiba como está sua situação

É muito importante ter consciência de todos os números: renda mensal, gastos fixos, despesas variáveis e quaisquer dívidas acumuladas. Desta forma, tem-se um panorama geral sobre a quantidade que se pode gastar ou investir, por exemplo, e fica mais fácil identificar despesas excessivas e/ou desnecessárias.

2 – Gaste menos do que ganha

“Parece óbvio, mas o controle de gastos é a base para uma vida financeira mais saudável”, aconselha Moisés Carvalho, um dos sócios-diretores da Buriti. “Assim, é possível sempre montar uma reserva de emergência ou reinvestir o dinheiro em outros bens rentáveis, além de garantir a tranquilidade de escapar de dívidas homéricas e infinitas”, comenta.

3 – Foco em negociar e quitar dívidas

Se existem dívidas como contas atrasadas ou empréstimos, este deve ser o primeiro foco do planejamento financeiro. Caso não seja possível quitar em um único pagamento, aconselha-se negociar prazos e multas, além de inserir a dívida como parte das despesas fixas mensais até que seja completamente acertada.

4 – Use a tecnologia como aliada

Atualmente, existe uma enxurrada de informações na internet sobre como se organizar financeiramente. É possível escolher um canal e profissional de confiança para aprender um pouco mais sobre o processo. Pode-se ainda usufruir dos aplicativos de planejamento financeiro, que facilitam registros e controle de gastos diários.

5 – Comece a investir

Por fim, investir o dinheiro faz com que ele seja rentável por si só. O bacana é sempre analisar quais investimentos são mais compatíveis com o perfil de renda e objetivos; mas é fato que aqueles que são mais seguros, ou seja, que oferecem baixo risco de desvalorização, permitem planejar os próximos passos da vida com mais tranquilidade e consciência.

 Sidney Penna, também sócio-diretor da Buriti, afirma que o setor imobiliário é uma boa opção e que, mesmo nos últimos anos, tem tido um ótimo nível de crescimento. “Quando você adquire um terreno, por exemplo, é certo que o seu montante vai render, principalmente porque a tendência é de que a região seja valorizada com a implantação da infraestrutura de qualidade, como a que fazemos na Buriti. É um investimento certeiro e muito seguro”, reitera.

Voltar ao topo