Entenda qual plano de financiamento cabe no seu bolso

Buriti oferece leque de planos para atender demanda dos seus clientes

Adquirir um terreno faz parte do projeto de vida de muitos brasileiros que sonham em poder construir sua própria casa, fazer um investimento seguro ou ainda abrir seu comércio. Porém, para tornar esse sonho realidade, é imprescindível que o comprador faça um planejamento financeiro adequado para o seu bolso, a curto, médio e longo prazo.

Com objetivo de contemplar as necessidades de adequação financeira dos seus clientes, a Buriti Empreendimentos, uma das maiores empresas no Brasil no ramo de desenvolvimento urbano e planejamento, oferece uma tabela com três opções principais de financiamento – o plano fixo, o plano corrigido e o plano reajustável.

No plano fixo, por exemplo, não há previsão de juros e correções, com possibilidade de dividir o valor total do terreno em até 36 vezes. O plano corrigido, por sua vez, prevê o valor das parcelas com correções feitas pelo Índice de Inflação do Brasil (IGP-M/FGV), é também isento de juros e pode ser dividido em até 72 parcelas – contudo, esse plano deve ser consultado, visto que não está disponível para todas as regiões do Brasil.

Já o plano reajustável, que pode ser dividido de 37 a 180 ou 204 parcelas, a depender da localidade, se desdobra novamente em três opções para atender os compradores, são os planos Sacoc, Price e Sac. Todos incluem juros e correções, sendo a principal diferença entre eles o montante das parcelas no início e no final do financiamento. Na Sacoc, por exemplo, o comprador inicia pagando uma parcela menor e termina pagando uma quantia maior, sempre de acordo com os juros e correções previstos no contrato.

Na Price, os juros são aplicados no montante das parcelas, e assim elas permanecem em torno de um mesmo valor do início ao fim, com leve aumento, devido à inclinação das correções anuais do IGP-M/FGV. Por fim, no Sac o comprador começa pagando parcelas maiores, e, ao longo do tempo, seu valor decresce. Analisando os três planos com as correções previstas do IGP-M/FGV, o plano reajustável com a parcela mais linear seria o Sac – visto que os juros são diluídos na mesma medida em que a correção é aplicada.

Além de disponibilizar uma diversidade de planos, a Buriti também dá ao seu cliente a opção de mudar seu plano reajustável. “É uma solução que encontramos para assistir nossos consumidores da melhor maneira possível, visto que, ao longo dos anos, pode ser que sua situação financeira mude, e o plano precisa acompanhar essa alteração no planejamento”, explica Moisés Carvalho, sócio-diretor da Buriti.

“O cliente quer um plano que fique bom para ele e que esteja dentro do seu orçamento, e é isso que queremos também. Afinal, com acesso a planos que cabem no seu bolso, o comprador também diminui o índice de inadimplência e isso gera benefícios para todos”, completa Sidney Penna, também sócio-diretor da empresa.

 

Voltar ao topo