Mercado imobiliário encontra soluções na transformação digital

Pandemia estimulou empresas do setor de imóveis a buscarem ferramentas inovadoras para seus clientes em isolamento, mergulhando de vez no mundo virtual

O atual cenário de instabilidade e distanciamento coletivo incentivou a sociedade a se reinventar, tanto no âmbito pessoal como em termos de mercado. No setor imobiliário não foi diferente – este período desafiador fomentou a capacidade adaptativa das empresas, que encontraram na transformação digital suas melhores soluções.

Apesar da queda evidente na procura e venda de imóveis, é possível observar que a busca presencial caiu mais que o dobro em relação à digital, de acordo com dados fornecidos pela Brain Inteligência Estratégica, empresa de pesquisa e consultoria em negócios, com atuação nacional destacada em mercado imobiliário. Um dos sócios diretores da empresa, Fábio Tadeu Araújo, afirma que o processo de digitalização das empresas do mercado já estava ocorrendo antes da pandemia, mas que agora precisou ser acelerada, principalmente no que diz respeito às etapas de venda e fechamento dos contratos.

“A parte de comunicação e publicidade dos empreendimentos já estava sendo bem executada no online, porém a captura de leads era feita parcialmente e a realização de contratos era mínima. Com a queda forte da busca presencial e muitos plantões de vendas fechados devido ao isolamento, estas duas últimas etapas, de captura e negociação, passaram a ser realizadas com mais intensidade pelo meio virtual”, explica Fábio.

De fato, é possível observar a movimentação do mercado neste sentido. As visitas aos imóveis, por exemplo, estão sendo feitas de forma digital, com auxílio de corretores, para evitar que o cliente saia de casa. Além disso, estão sendo realizados também leilões de imóveis online, em que o cliente pode acessar metragem, cômodos e áreas privadas para lazer pelo computador.

Outras iniciativas, como a Instacasa e o Imovelweb, plataformas 100% digitais que oferecem serviços de projetos de arquitetura e venda, compra e aluguel de imóveis, respectivamente, também ganharam força neste período, inspirando outros segmentos do mercado a investirem em um aparato tecnológico de qualidade. A Instacasa, startup atuante desde 2017, por exemplo, faz uso da realidade aumentada, que mostra às pessoas o projeto de suas casas no lote adquirido através do celular ou tablet.

Previsões

Segundo o Trendwatching.com, instituto que estuda tendências de consumo promissoras, o futuro pós pandemia requer vivências virtuais personalizadas e automatizadas, e as pesquisas realizadas pela Brain confirmam este cenário. “Isso mostra que, existindo informação, ferramentas e sistemas necessários, o consumidor tem sim a capacidade de fazer esse processo de compra de imóveis online”, diz Fábio Tadeu Araújo.

Ainda em relação às pesquisas, é possível constatar que, quando comparadas as vendas na última quinzena de março às vendas no mês de abril, abril teve melhor desempenho; e já observando os meses de maio e abril, maio está melhor. Por este motivo, a Brain acredita que junho tende a ter uma atuação ainda mais satisfatória, visto que as empresas estão agora mais preparadas para fazer a jornada de compra do imóvel virtualmente. Segundo Fábio, visto que a curva de aprendizagem está se consolidando – na compra de sistemas, treinamento de equipe e mudança de mindset – é provável que o mês de junho já seja muito bom em termos de venda online.

Buriti Online

Na busca por trilhar este caminho mais conectado com seus clientes, a Buriti Empreendimentos está também trabalhando para trazer novidades e melhorias por meio da experiência digital. A empresa repaginou seu site, além de criar um aplicativo para potencializar o atendimento ao cliente. O novo site da Buriti está mais clean e moderno, proporciona várias ferramentas de busca e acesso rápido à equipe comercial, e traz um campo personalizado para corretores. “Nossa nova plataforma foi pensada nos mínimos detalhes para facilitar a navegação e autoatendimento dos nossos clientes”, afirma Moisés Carvalho, sócio proprietário da empresa.

O aplicativo também é uma novidade que a empresa trouxe para agregar neste processo. Disponível para ser baixado em iOS e Android, ele possibilita a emissão de 2ª via de boletos, extratos e imposto de renda, atualização do cadastro, além de outras facilidades focadas no autoatendimento. “O que queremos é ampliar as possibilidades do cliente, garantindo que ele possa resolver qualquer pendência no conforto e segurança do seu lar”, pondera Sidney Penna, também sócio proprietário da Buriti.

Voltar ao topo